Multi-Gyn para Profissionais: Fundamentação Médica

O corpo humano é constituído por mais bactérias do que células. As últimas pesquisas demonstram que as nossas comunidades bacterianas são muito individuais, tal como uma impressão digital. Nós não podemos viver sem elas uma vez que assumem várias funções extremamente importantes, nomeadamente a digestão e acidificação da pele e da vagina. A situação ideal é vivermos em harmonia com as nossas bactérias. É o equilíbrio deste ecossistema que mantem as bactérias nocivas sob controlo.

Na vagina, as bactérias úteis são os lactobacilos produtores de ácido láctico, estas mantêm a maioria das bactérias nocivas e outros microrganismos afastados. O quebrar deste equilíbrio é observado frequentemente por uma alteração no corrimento vaginal. Mais frequentemente ocorre o sobre crescimento cocóide também conhecido como Vaginose Bacteriana (V.B.). Normalmente a Vaginose Bacteriana é acompanhada por um odor a peixe causado pelas aminas produzidas por estas bactérias. (Pinkster 1998). Os factores externos para esta quebra do equilíbrio bacteriano são a higiene e o coito. Em ambos os lados do cérvix, a vagina expande-se para fora formando uma bolsa chamada fórnice. Nestes fórnices, especialmente o traseiro (o fórnice posterior), a secreção do cérvix e os restos celulares podem-se acumular. A estase neste fórnice posterior cria um ambiente excelente para o crescimento da flora anaeróbica cocóide. Após relações sexuais o pH da vagina aumenta significativamente de ácido para ligeiramente alcalino. (Tevi-Benissan 1997). Neste meio alcalino, as bactérias cocóides - que prosperam num pH elevado podem aumentar explosivamente com um pico de crescimento 36 horas após “o choque alcalino” do esperma. Este sobre crescimento cocóide não se verifica quando se aplica um duche vaginal após as relações sexuais. (Boon 1996).

Alterações constantes do equilíbrio ocorrem como reacção aos distúrbios causados por factores hormonais, internos e externos. Cada alteração grave deste equilíbrio será contrariado pelo corpo com acções correctivas. Quanto mais intensas são as acções reparadoras, maiores são as queixas devidas aos efeitos laterais destas acções. Na vagina, o excesso das bactérias indesejáveis é manifestado pela dor e pelo prurido. Frequentemente, estes sintomas são tratados com antibióticos que se crê serem o “cura tudo”. No entanto, eles também erradicam as bactérias úteis. Abordagens recentes à batalha contra as bactérias prejudiciais exploram o travar do seu sobre crescimento e o reequilibrar da flora. Um método não-invasivo e eficaz é simplesmente impedir que estas “colem” aos nossos tecidos, interferindo com o mecanismo de adesão das bactérias. Esta aproximação inovadora e patenteada, é a base da gama de produtos Multi-Gyn.

Mais informação para profissionais: