Candidíase durante a gravidez

Não é anormal para as mulheres terem mais desconfortos vaginais durante a gravidez do que outra altura antes ou depois dessa. As mudanças que os nossos corpos sofrem durante o desenvolvimento e crescimento do feto, e durante a amamentação são reguladas essencialmente por níveis hormonais, e têm impacto sobre imensos aspetos nas nossas vidas.

Náuseas, aumento de peso e esquecimentos são experienciados por muitas grávidas, mas poucas mencionam que uma infeção vaginal fúngica (candidíase) pode ser um problema real durante a gravidez, prejudicando a vida amorosa entre os futuros papás. Mas apesar de a candidíase poder ser grave, recorrente e irritante, geralmente traz outros riscos para a mamã e para o bebé. Se tiver uma infeção fúngica (candidíase) durante o parto, o seu bebé pode entrar em contacto e assim desenvolver uma infeção na boca.

Contudo, se está gravida e tem estes sintomas como corrimento excessivo, prurido e irritação, deve contactar o seu médico, que irá examinar o seu caso e prescrever o tratamento indicado. Pode utilizar de forma segura os tratamentos mais comuns e antimicóticos durante a gravidez.

Quais são os sintomas de uma infeção vaginal fúngica (candidíase)?

Os sintomas de candidíase vaginal são:

  • Corrimento espesso esbranquiçado, similar a requeijão
  • Prurido e irritação na área vaginal
  • Vermelhidão e ardor quando urina

Alguns destes sintomas podem surgir noutros problemas, como na vaginose bacteriana ou DST’s. Desde que estes problemas podem ter consequências graves na mãe e no bebé, é importante contactar o seu médico para partilhar os sintomas.

Infeção vaginal fúngica (candidíase) recorrente durante a gravidez

Algumas vezes, apesar das terapias prescritas, e devido a alterações nos níveis hormonais, as mulheres grávidas podem experienciar candidíase mais do que uma vez. Cândida Albicans, o microrganismo responsável pela maioria dos casos de infeção vaginal fúngica, pode tornar-se resistente ao tratamento com antimicóticos.

Tratamento com prébioticos oferece apoio à flora vaginal, mas na maioria dos casos não consegue combater a infeção sozinho. Se se encontrar nesta situação, a única coisa que pode fazer é aliviar os sintomas, até terminar a gravidez e as hormonas voltarem ao normal. Isto pode ser feito através de sprays ou geles que não necessitam de prescrição médica, que acalmam a pele e param com o prurido e a sensação de ardor. Contudo, cada gravidez é diferente e deverá consultar o seu profissional de saúde antes de decidir utilizar qualquer produto na sua área íntima.


"Contudo, se estiver gravida e experiencie sintomas como corrimento excessivo, prurido e irritação, deve contactar o seu médico, que irá examinar o seu caso e prescrever o tratamento adequado. "